Treze clubes da Série A vão negociar redução salarial nas férias

Confira a situação dos clubes:

Athletico-PR – Com o elenco liberado por tempo indeterminado, equipe estuda como realizar uma redução salarial.

Atlético-GO – Clube vai avaliar futuramente como vai proceder com a negociação dos salários. As conversas envolvem também o Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de Goiás (Sinapego).

Atlético-MG – Vai reduzir 25% dos salários dos jogadores, comissão técnica e diretoria pelo período que perdurar os efeitos da pandemia.

Bahia – Plano é oferecer uma redução, mas haverá uma conversa com o elenco na próxima semana para definir o valor.

Botafogo – Diretoria não pretende reduzir salários.

Ceará – Vai distribuir parte dos vencimentos referentes a abril e maio nos meses seguintes.

Coritiba – Vai manter os salários.

Corinthians – Diretoria avalia possíveis mudanças.

Flamengo – Clube entende que pode absorver os impactos financeiros da paralisação e vai manter os salários normalmente.

Fluminense – Diretores e gerentes reduziram os salários em 15%, mas a negociação sobre os pagamentos ao elenco ainda não está definida.

Fortaleza – A diretoria estabeleceu que 25% do salário referente ao mês de março só será pago após a crise passar. Sobre o mês de abril, os atletas abriram mão definitivamente de 10% dos vencimentos e outros 15% só serão recebidos depois da paralisação terminar. Dirigentes executivos remunerados também vão enfrentar reajuste, ao receber 15% menos dos salários de abril.

Grêmio – Acordou com o elenco que os direitos de imagem dos período sem jogos será pago somente em 2021.

Goiás – Assim como o Atlético Goianiense, conversa com o sindicato local para definir como ficará a negociação salarial.

Internacional – Diretoria vai debater com o elenco durante as férias para avaliar possível redução.

Red Bull Bragantino – Vai pagar os salários integrais durante o período.

Palmeiras – Clube vai fazer estudo financeiro durante abril para avaliar a capacidade de manter os salários. O plano é não fazer redução.

Santos – Diretoria se compromete a pagar as férias até o quinto dia de maio e pode parcelar os valores. Uma possível redução salarial ainda será discutida, mas o interesse é manter os valores.

São Paulo – Diretoria vai conversar com o elenco sobre o assunto. A primeira proposta foi de redução de 50% dos salários, oferta que foi recusada.

Sport – Vai realizar reuniões com os jogadores nos próximos dias para definir o que fazer.

Vasco – Depende de conversas com o elenco para resolver a redução salarial.

FONTE SITE R7 Futebol

Rolar para cima
Chat pelo WhatsApp